Feminismo Antinatural?


Após 'séculos' de luta pela igualdade entre sexos, muitas mulheres hoje afirmam viver num período de direitos iguais. A mulher então, deixou de ser apenas a 'dona de casa' e passou a ter voz ativa nas questões políticas, ingressar nas universidades e mercado de trabalho exercendo inclusive cargos de chefia e predominantemente ocupados por homens.

Sim, todos somos seres humanos com basicamente as mesmas necessidades, porém, há de se admitir que homens e mulheres são diferentes, ou não seriam homens e mulheres, seríamos "criados" todos como homens ou mulheres, negar isso é extremismo. Me desculpem as mulheres, mas acredito que esta busca pela igualdade em todos os aspectos entre homens e mulheres é antinatural. Sim, hoje estamos aí concorrendo com homens de 'igual pra igual' (literalmente entre aspas), somos independentes, inventoras, pesquisadoras, professoras, diretoras, somos estudantes, estamos nos movimentos, na política e de repente se ouve "Mããããeeeee!" (opa, é o filho chamando), sim! Também somos mães, também somos esposas e sim , temos que ser/estar sempre lindas. Pois é, novas atribuições e com elas as antigas.

A mulher puxou pra si várias responsabilidades que esta penando para adaptar as tradicionais. Sinceramente, não sei o que é o natural, se existe uma ordem das coisas desde o princípio, quem pode dizer o que deveria ser diferente? E ainda alegar isso como o natural? Não estou aqui defendo os séculos de tirania masculina, mas confesso que o extremismo feminista me incomoda, pois estamos assumindo tantas coisas ao mesmo tempo, que não temos mais tempo pra nada. Também faço parte desse grupo (então é quase que uma auto-indignação), mas admito que cansa, pois em muitas situações prefiro ser encarada como "a diferente" tentando fugir dos padrões estabelecidos pela sociedade onde a mulher é tida como um rótulo, (nem entrarei no assunto consumismo pelo ideal aqui). Tive que abrir mão de algumas vaidades para entrar no espaço dos ‘pensantes’, me tornei um pouco dura e direta com algumas situações, principalmente aquelas relacionadas a sentimentos (sim, por natureza da mulher é mais sentimental que o homem!) e assim vou vivendo e percebendo que mais cedo ou mais tarde se escolhe um lado. Parabenizo a mulher que consegue manter o equilíbrio, mas ainda penso que há de se pender pra um dos lados. E ainda não descobri qual deles é o natural.


Dayanne Louise

Acadêmica do curso de Administração

1 comentários:

Rick disse...

Belas palavras Day. As mulheres deveriam lutar pelos direitos iguais e não serem minorizadas pelo fato de ter um sexo diferente do masculino. Mas como você falou, uma mulher sempre continuará sendo uma mulher e isso jamais será mudado. Uma mulher sempre será a mãe, será aquela que tem muita vaidade, que gosta de ter carinho, que as vezes gosta de que o homem seja romântico, abra a porta do carro, dê flores, fale como está bonita, pague a conta como um sinal de gentileza e por fim, ser amada por um homem. Falando sobre tudo isso, a mulher tem de continuar sendo do jeito que é, só apenas não se subjulgando por causa do seu sexo ou pelo que as tendências da sociedade impõe, afinal, a 100 anos atrás as coisas eram diferentes e como poderemos saber como será daqui a 100 anos?
Belo texto mozeti...
Beijosss

Postar um comentário

Suas palavras no meu cantinho...